terça-feira, 21 de abril de 2009

I believe in Miracles.

Acordar um dia, e ver a esperança renascer, é uma das melhores sensações que podemos ter.
Se sentir renovado, coberto de esperança e alegria.
A auto-confiança retorna, e as coisas começam a fazer sentido.
Me sentir segura é algo inexplicável.
Me sentir capaz.
Sentir que aquele momento que você tanto espera, está prestes a acontecer, é algo mágico.

Porque, de uma hora para outra, você percebe que tudo se encaixa perfeitamente.

Que o tempo "off" é necessário para recompor energias.
Que você consegue aquilo que muito deseja.
Que o que você admira por algum tempo é tão frágil, e de repente você se descobre uma fortaleza, que a dor te fez melhor. Que perder te fez ganhar. Que nada é em vão.

E de repente, você se desfaz de lembranças.
Muda móveis de lugar.
Reacende a paz no seu santuário.
Reacende a luz em você.

Sempre terão pessoas querendo roubar sua luz, mesmo que não conscientemente.
Mas você descobre o quão capaz é de evitar que certas coisas aconteçam (ou não), com a força de sua mente.

Não me sinto culpada ao me sentir melhor. Já me culpei muito por coisas que fogem ao meu controle.
Hoje percebo o quão evoluída eu estou. E não há razão para sentir vergonha disso.

Eu lutei para estar assim. Percebi que gosto da minha vida.
E talvez, eu esteja realmente começando a me amar.

E tudo está prestes a acontecer ...

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Pela Hipocrisia.

A hipocrisia é o ato de fingir ter crenças, virtudes e sentimentos que a pessoa na verdade não possui. A palavra deriva do latim hypocrisis e do grego hupokrisis ambos significando a representação de um ator, atuação, fingimento (no sentido artístico). Essa palavra passou, mais tarde, a designar moralmente pessoas que representam, que fingem comportamentos.
Um exemplo clássico de ato hipócrita é denunciar alguém por realizar alguma ação enquanto realiza a mesma ação.

Fonte: Wikipedia [http://pt.wikipedia.org/wiki/Hipocrisia]

Que se faça um OLA a hipocrisia que somos todos nós.
Levantando bandeiras, apontando dedos, apunhalando escolhas, sem sequer lutar por si próprio.
Quantos de nós não gosta de julgar o outro?
Esquecendo que temos três dedos apontados para nós, cada vez que enfiamos UM ÚNICO dedo no nariz de outro ser.

Me incluo nessa também.Faz pouco tempo que parei de julgar escolhas e comportamentos.

Depois de tanto julgar, comecei a ver o caminho que estava trilhando.

Quem somos para julgar?

Claro, existem coisas fora do padrão, onde o que temos que falar não é de julgamentos, e sim de atos medíocres e inescrupulosos. E certas coisas NÃO são perdoáveis.

Mas me dá um certo nojo ver pessoas que se acham acima das outras, e fazem questão de mostrar isso aos quatro cantos. Acredito que isso se chama de "imaturidade emocional." Pessoas que não estão prontas para encarar sua própria realidade.

É, porque a própria realidade dói, ainda mais quando fantasiamos tudo o que queremos e mais ainda, o que não queremos. E descobrimos que tudo é um imenso faz-de-conta, usado para disfarçar/camuflar sentimentos.

Além de nojo, sinto pena. Pena da incapacidade que muitos temos de não aceitar o diferente, de não aceitar que nem tudo o que as pessoas fazem, é aquilo que você pensa que elas fazem.

A mente humana é um imenso ponto de interrogação. E quando pensamos ter certeza das coisas da vida, a vida faz coisas conosco que nos prega uma bela surpresa.

Então, seria melhor levantarmos uma bandeira e dizer: "o que me faz feliz? sou uma pessoa de verdade? sou uma boa amiga, filha, irmã, mulher? por que reparo tanto nos outros? será que é por que os outros reparam tão pouco em mim? ou me criticam demais?"

Todos temos problemas. Todos temos medos. E todos temos fraquezas. Mas somos infinitamente guerreiros.

Que tal levantar a bandeira do seu EU ?