quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

:: Uh uh ow baby please don´t go ::

Me lembro que meu ex não gostava dos meus brincos do segundo furo. Ele reclamava sempre que dormíamos juntos. Dificilmente eu os tirava. Acho que para preservar o pouco que me restava de quem eu era.
Sim, quem eu era. Porque já não sou mais.
Aumentei os furos na orelha ... hahahahaha!

Falando sério, a gente vai acumulando histórias, andando em círculos, fazendo escolhas.
E tem aqueles dias difíceis que pensamos, na manhã seguinte: "não sei se vivi ou se sonhei."
É, manhãs de dias difíceis. Porque é tão mais fácil olharmos para tudo aquilo que não saiu do jeito que planejávamos. Mesmo quando se é uma pessoa que não se planeja nada, você sempre sempre sempre, quer que as coisas saiam do seu jeito.
E o seu jeito, nem sempre é aquilo que só você quis: o seu jeito pode ser aquilo que despertam em você, seja bom ou ruim. Tem uma frase que eu gosto muito: "tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas."

Mas a gente não foi educado assim, né? A gente foi educado para ir atrás sempre do que for melhor para nós, em primeiro lugar. Depois, os outros. E vira essa "cadeia alimentar": enquanto for bom para mim, eu estou ali. A hora que não for mais, eu sigo meu caminho. Não importa a dor que vou causar, não importa os sonhos que vou destruir. Eu vou embora.

Eu já fui embora, você também já deve ter ido.

E o que faz a gente ir embora? Tudo o que nos sufoca.

Eu entendo bem disso. De sufocar e ser sufocada. De cativar e ser cativada.

Tem horas que acho bem engraçado aquele positivismo todo que nos empurram, dizendo que temos que tirar coisas boas de tudo. Que tudo tem um fundamento, e a gente fica ali, procurando o que pode ser bom naquela porcaria de dor que te consome. Porra, se as coisas não saíram como eu quis, como eu posso ver algo de bom? Peraê, tem alguma coisa de errado nisso tudo!

Acho que descobri. Me falta um botãozinho, muito importante: E S Q U E C I M E N T O!
Eu vim com defeito, vou reclamar na fábrica, porque isso me falta realmente! Saco.

Mas enfim, que merda eu vim fazer aqui?

Um comentário:

  1. Eu tenho uma teoria... bom, na verdade é algo que eu li há mtos anos atrás, não vou lembrar aonde exatamente, mas como tem mto cara de Paulo Coelho, vou atribuir a este mesmo, hihihihihi!

    Dizia algo sobre quando algo não acontece da forma que a gente queria, é pq o que a gente queria não era exatamente o que a gente precisava.

    Ou algo parecido.

    O que você quer... é exatamente o que você precisa?

    Pra quem tem fé nessas paradas de deus e pans, dizem que ele sabe o que a gente precisa. A gente não.

    Então sei lá, talvez até faça sentido as coisas não saírem exatamente da forma que queríamos. E esse é um jeito de tirar positivismo da merda:

    Quando cagamos a gente se limpa por dentro.

    ResponderExcluir

Valeu pela visita!