domingo, 8 de abril de 2012

I'm gonna steer clear.

Incrível como coisas simples podem te fazer sair um pouco daquela realidade. Aquela mesma realidade que te faz pensar: pqp, o que estou fazendo aqui?
Ninguém quer ser deixado para trás, ninguém quer ser esquecido. Ainda mais quando se ouve coisas boas, bonitas. E esse ouvir muitas vezes, vem do silêncio.
Silêncio de atitudes que nunca chegam. Não da forma que esperamos, ou de quem esperamos.
Eu já ouvi tantas coisas, e sempre tive aquilo como verdade, mesmo porque, sempre cumpria com o que falava. Pelo menos, se isso gerava uma expectativa para a outra pessoa.
Mas aí eu acordei e vi que não, ninguém faz sacrifícios por mim. Aliás, tem quem o faça. Mas desses, eu não posso falar nada. Já falei e julguei muito, e fui errada nisso.
Cheguei nesse ponto que não me importo mais se você não se importa. Não espero nada, e não vou fazer nada além do que eu quero fazer. Cheguei nesse ponto onde eu sou a figura mais importante e vou tentar me fazer feliz. 
Então você vê atitudes não coerentes, e se cansa. E quando você se cansa, um mundo de novas oportunidades se abre. Quando você se cansa, você se abre para o novo. 
Você se cansa de se importar com coisas bobas, e você entende que as coisas se fecham, mudam de cenário, mudam de roupa e de música. E tudo bem. Eu apenas vou  me dar o direito de fazer o mesmo também, talvez por começar a entender que minha fidelidade deve começar primeiro, comigo, "de mim para mim".
E que momento mágico, quando você começa a se abrir para o novo, e vê novas formas de amar, ser amado, sentir, ver o sol de outro jeito, sentir a chuva fria levar o que não está te fazendo bem.
Nunca fui de seguir meus instintos. Mesmo porque, muitas vezes, não tenho como explicá-los. 
Acho que comecei a seguí-los, e tudo o que já foi verdadeiro na minha vida, voltou. 
E o que já foi, talvez nem signifique que não tenha sido verdadeiro, mas talvez só não o é mais. 
E tudo bem. A vida é feita de partidas, de chegadas, de começos, finais e recomeços. 
Saber guardar isso no coração, e entender também, só vem com o tempo.
Promessas são lindas, mas foram feitas para ser quebradas, assim como nós fomos feitos para ser mutantes. E não é que há uma beleza toda exótica nisso? Portas se fecham, portas se abrem. 
E o que deve permanecer, sempre vai estar lá. 





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Valeu pela visita!